Solicitar mais informações

* Campo obrigatório

Aceito os termos e condições de uso e a política de privacidade

Rota do Tuiuiu

Rota do Tuiuiu,
Bonito e Pantanal

De todos os destinos que oferecemos, a Rota do Tuiuiu é provavelmente um dos mais confortáveis em termos de infra-estrutura, mas sem perder a singularidade da relação com a natureza que tem este país. A comunicação rodoviária permite ao viajante a autonomia de poder dirigir o carro ele mesmo sem medo de aparecer no fim do mundo e não saber o caminho de volta. Ainda assim, você pode procurarar caminhos mais curtos, de terra que exigem um guia e uma certa tolerância aos pulos do carro. Apesar deste ponto à favor, não é um destino bem conhecido fora do Brasil, talvez porque ele está no interior, longe da costa, perto das fronteiras com a Bolívia e Uruguai. Isso não significa que você vai sentir falta da água. Com clima tropical continental, tem uma estação chuvosa que coincide com o verão e uma seca. Chove de outubro a março, o suficiente para alagar grande parte da sua superfície. A melhor época para visitar a Rota do Tuiuiu, se você quer menos chuvas e portanto menos mosquitos, é de maio a setembro.

Você chega de avião a Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul e vai-se de carro até Bonito.

Praticando o snorkel mais passivo possível, apenas flutuando e à deriva com a corrente. Mergulhando em abismos de até 20 metros de profundidade. Percorrendo rios com cachoeiras, seja de barco ou de caminhadas. Descendo a profundezas de 90 metros de altura de rapel para chegar a lagos subterrâneos do tamanho de um campo de futebol. E pescar. A região tem uma riqueza animal só comparável à de certas áreas da África, só que aquática. A Serra da Bodoquena é um lugar encantado que surpreende a cada volta, com quedas d’água cada vez maiores, de repente um paraíso para a nadar, ravinas profundas. Bonito é apenas … bonito.

Todo o sector do turismo e os habitantes desta área são particularmente sensíveis à conservação deste paraíso ecológico. Para evitar uma ocupação massiva e uma deterioração do ecossistema, há restrições sobre o número de visitantes, por isso é aconselhável reservar passeios com alguns meses de antecedência.

E quando a alma já precisa descansar de tantos tesouros descobertos, é hora de ir para uma fazenda no Pantanal.

O estado de Mato Grosso do Sul tem mais gado do que pessoas. E todas aquelas vacas e bois roam no Pantanal, juntamente com jacarés, onças, ariranhas, araras, cobras, capivaras, preguiças, tamanduás, ninhos gigantes de cupin e o rei do Pantanal: o Tuiuiú (o maior pássaro no Pantanal ).

Na estação seca é mais fácil de discernir os animais, sempre tímidos. Todo mundo vem à água e nesta época do ano, ao se reduzir o tamanho dos lagos, eles ficam lotados de jacarés. O melhor horário é à noite. E em silêncio. É sempre uma alegria inesperada poder observar alguns dos mais tímidos. E os tuiuiús, como mestres do Pantanal, tem uma presença muito forte. As capivaras vivem com a paz da sua inocência e os jacarés sem preocupações sabendo que eles têm uma iguaria a qualquer momento.

O Ipe florecido é outra beleza no Pantanal. Essa serenidade verde, suave e imensa é interrompida pela coroação desta árvore, com sua copa florida rosa, branca ou amarela. O Artista do Pantanal que queria dar seu toque de cor, mostrando um requintado sentido da estética, mas também um monte de humor.

Solicitar mais informações