Solicitar mais informações

* Campo obrigatório

Aceito os termos e condições de uso e a política de privacidade

Rota das Emoções

Rota das Emoções,
De Fortaleza a São Luis

… ou vice-versa, a ordem não altera o produto, a Rota das Emoções é absolutamente fascinante. Passando por Flecheiras, Jericoacoara, Barra Grande, Delta do Parnaíba e para terminar ou começar, dependendo, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Esta parte da costa nordeste do Brasil é paralela à linha do Equador e está localizada a 300 km ao sul do mesmo. Portanto, tudo o que aprendemos na aula de geografia para o clima equatorial se aplica aqui: calor e umidade. Há apenas duas estações: a estação chuvosa, de janeiro a julho, e a mais seca o resto do ano.

Esta região está localizada numa faixa de baixa pressão aonde os ventos alísios convergem, muita água e altas temperaturas. Isso resulta em um lugar excepcional para a prática de windsurf e kitesurf: ventos alísios constantes.

O passeio é feito com jipe off road ao longo da praia porque é mais divertido, é uma oportunidade única, e o caminho pelo litoral é na maioria das vezes a melhor opção até porque estradas convencionais não abranjem todo o percurso.

Isso deixa claro que a infra-estrutura é completamente diferente do que estamos acostumados. E não apenas na rede rodoviária. Você pode aplicar esta regra da simplicidade a tudo o que encontrarmos no resto da viagem. E por cima de tudo, curtir a Rota das Emoções.

São quilômetros e quilômetros de praias desertas, onde se pode parar a qualquer momento para um mergulho ou procurar um vilarejo onde comer em uma cabana de pescador uma lagosta ou um peixe fresco recém-pescado.

Dunas de areia branca e fina, onde escorregar em pranchas e fazer “esquí-bundas” que terminam em lagoas de água doce e morna. Pode-se comer nessas lagoas, sentados na água rasa e rodeados por peixes, para logo depois dormir em redes suspensas pouco acima da água. Manguezais e bocas de rio em cujas margens cavalos-marinhos têm seus ninhos. Cruzar estes rios em balsas de madeira. Visitar ilhas desertas no Delta do Parnaíba e até mesmo dormir nelas. Observar o voo de guarás em igarapés no Delta. Poder apreciar todas as nuances de um por do sol, pois se repetem todos os dias e a cada dia ficam mais lindos. Ir para a cama ao anoitecer e acordar no amanhecer. Dormir no balanço das redes com o murmulho do mar e do vento e acordar com a gritaria dos papagaios, macacos e outros vizinhos da ilha não tão deserta. E descobrir que o mundo é imenso nos Lençóis. Nada se compara com aquele deserto lunar de areia fofa, cheia de lagoas.

Depois de uma viagem assim o difícil é, ao voltar, tentar explicar o tamanho, a grandeza e a beleza da experiência. O jeito é calar a boca e deixar que seu olhar mostre que você experimentou algo único, seus olhos brilham só de lembrar. E depois que você tiver chegado, posto tudo em ordem e tiver voltado para a sua rotina, é um verdadeiro prazer encontrar um pouquinho de areia esquecida em algum lugar. É uma oportunidade para reviver todas aquelas memórias e saborear a Rota das Emoções novamente.

Solicitar mais informações